domingo, 21 de novembro de 2010

Ação & debate: o Dia da Consciência Negra

Em 2003, a Lei 10.639 inseriu o Dia da Consciência Negra no calendário escolar, assim como os conteúdos sobre a História da África e a cultura afro-brasileira nos programas das instituições de ensino público e particular do Brasil. A inserção obrigatória do estudo da história de grupos étnicos que compõem a nossa sociedade pode parecer óbvia, afinal como negar o papel fundamental da cultura africana na formação de nossa identidade nacional? Seria preciso uma lei para inserir essa reflexão em nossas escolas?

A História ministrada nas nossas escolas ainda está refém de uma longa tradição eurocêntrica, ou seja, branca e civilizada. Mesmo com todos os esforços atuais para problematizá-la, ainda se percebe uma resistência à inserção e discussão de questões que são fundamentais à nossa história, como é o caso da participação dos africanos em nossa sociedade... que vai além da feijoada e do samba.  Alinhar o ensino à realidade de nossos alunos é fundamental para questionar a máxima de que "o Brasil é um país sem preconceitos", tornando-a um objeto de reflexão por excelência.  No dia 20 de novembro de 2010, os alunos e professores do campus Timóteo do CEFET-MG tiveram a oportunidade de debater sobre a importância de uma legislação que garanta nas instituições de ensino do país, a representatividade de todos os grupos étnicos que formam a nossa sociedade.


APRESENTAÇÃO DO EVENTO

O evento apresentou produções culturais atentas à temática da inclusão social realizadas na nossa própria comunidade. A exibição do curta “Casamento Negro” (2009), do diretor ipatinguense Sávio Tarso, permitiu a apreciação de uma produção premiada realizada por pessoas de nossa região. Inspirado na música de domínio público do folclore chileno transformado em poema pela poetisa chilena Violeta Parras, “Casamento Negro” foi realizado apenas com atores negros. A diretora de arte do curta-metragem, Janaína Chavier, compartilhou com todos os presentes sua experiência no processo de produção de um filme: desde a captação de recursos até a escolha dos figurinos. “Casamento Negro” abriu o evento brilhantemente, convidando a plateia a refletir sobre identidade, negritude e patrimônio cultural através de uma narrativa cinematográfica que dialogou o barroco com a arte contemporânea, instigando os alunos sobre a experiência audiovisual.

APROFESSORA ROBERTA ALVES MINISTROU A PALESTRA "O DESTINO DO HOMEM NEGRO NA SOCIEDADE MODERNA"
Ainda no âmbito das ações culturais locais, o Dia da Consciência Negra apresentou o grupo de capoeira “Lenço de Seda” do Centro de Estudos da Cultura Ancestral Brasileira (CECAB) que há trinta anos atua na região com intervenções pedagógicas de formação de agentes culturais e educadores. O documentário “Na Ginga do Boi: cultura, educação e arte no Brasil” (2010) expôs as ações do CECAB junto à comunidade e a importância dessa iniciativa. A professora Nair Cristina Medeiros, membro do CECAB, ofertou os presentes com a exposição da trajetória histórica do grupo e suas ações no campo da inclusão social pelas escolas de nossa região.

A DIRETORA DE ARTE JANAÍNA CHAVIER FALOU SOBRE O CURTA-METRAGEM CASAMENTO NEGRO (2009)
A palestra “O destino do homem negro no mundo moderno”, ministrada pela professora Roberta Alves – especialista em literatura africana, propôs o debate sobre o conceito de negritude e sua importância para a constituição de uma identidade nacional mais sensível à riqueza cultural e étnica da sociedade brasileira.

A PESQUISADORA NAIR MEDEIROS APRESENTOU O CURTA NA GINGA DO BOI (2010) E RELATOU
A EXPERIÊNCIA DO CECAB JUNTO À COMUNIDADE DO VALE DO AÇO
O ponto alto do evento foi a exposição dos trabalhos realizados pelos alunos do campus Timóteo do CEFET-MG, conduzido pelas Professoras Kátia Torres e Agenita Oliveira. Com muita qualidade e criatividade, os alunos usaram linguagens diversificadas – teatro, audiovisual e literatura - para apresentar suas reflexões sobre a questão da cultura afrobrasileira e do lugar do negro na sociedade contemporânea.

OS ALUNOS DO 3º ANO DA TURMA DE EDIFICAÇÕES APRESENTARA UMA PEÇA SOBRE
O PAPEL DOS AFRICANOS NA CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA
Organizado por mim com a colaboração das professoras da área de Letras Micheline Lage, Kátia Torres e Agenita Oliveira, o evento “Dia da Consciência Negra” foi um exemplo bem sucedido dos bons frutos que uma iniciativa interdisciplinar pode propiciar à experiência didática.

4 comentários:

ana paula disse...

Caramba, foi um eventão! Que legal!!!

Cadê os alunos que não estão participando do blog? eles estão timídos?

Isis Castro disse...

Ainda não divulguei para os meninos, afinal só comecei a mexer no blog essa semana. Na quarta-feira, farei a divulgação. Tomara que dê certo!

Aline Montenegro disse...

Parabéns!

Blog da Katita disse...

Já deu certo, Isis. Esta ferramenta é fantástica para aproximarmos os alunos de nós e assim podemos direcionar algumas leitura. Parabéns!!!!!!!
Bjs

Postar um comentário